Bob Wolfenson e Rod Carvalho em prol de Mel e sua arte!
Rodrigo Carvalho Fonseca
Rio de Janeiro - RJ
CrowdfundingArte
R$ 2.615,00 da meta de R$ 42.000,00
0%
Quero participar!

Quando resolvi produzir uma série sobre artistas  de diferentes nichos sobrevivendo à pandemia - "Arte:Atravessando a Pandemia"-, convidei o renomado Bob Wolfenson para participar do episódio sobre  fotógrafos.

Após aceitar o convite, sabendo que faria dupla com outro colega de profissão, ele me sugeriu o nome da Mel, uma jovem artista do morro do Dendê, na ilha do Governador, no Rio de Janeiro,  que ele havia fotografado para a edição especial da revista ELLE sobre seus 50 anos de carreira.

Ao pesquisar sobre ela, me deparei com suas fotos incríveis no seu instagram (@melisssadeoliveira) e  fiquei maravilhado. A convidei na mesma hora para fazer dupla com o Bob. Convite esse que foi aceito de imediato. Depois de filma-los para a série e conhecer sua história linda de  garra e determinação para mudar de vida com ênfase  no seu amor pela fotografia, fechei com Bob de unirmos forças e fazer uma campanha de crowdfunding com a meta de  comprar uma ótima câmera (5D Mark IV) e uma lente nova ( 24-70 f/2.8) para ela alavancar sua carreira.

Assim sendo, aqui estamos para convidar você para participar dessa causa nobre em prol desse ser humano incrível chamado Melissa de Oliveira

Bob e Mel

Foto: Rodrigo Molina

R$ NaN

Kick único

É muito fácil participar.

Finalize em segundos!

Mais de 2 milhões de brasileiros

Pagamento seguro

Parcele em até 12X

Melissa de Oliveira, 20 anos, é fotógrafa e registra o que vê nas ruas e becos da favela por meio de fotografias. Moradora do Morro do Dendê, na Ilha do Governador, zona Norte do Rio de Janeiro, retrata o lado positivo da favela. Em maio de 2019, começou a fotografar e publicar no seu instagram (@melisssadeoliveira) o cotidiano da comunidade. Além da prática, busca por aprendizado técnico sozinha, procurando na internet referências de fotojornalismo e fotografia documental. O contato com arte sempre fez parte da vida da jovem através de desenhos, pinturas e devido à influência familiar. Mas, foi com a fotografia que ela encontrou a melhor forma de se expressar.

A moradora do Dendê foi motivada pela necessidade de documentar as coisas boas da comunidade, já que a mídia tradicional reproduz uma imagem estereotipada da favela, evidenciando a violência e a pobreza. “É o que faz o meu olho brilhar, parece até quando a gente tá apaixonada (risos). Me motiva saber que eu tenho a possibilidade de passar pra um monte de gente tudo de potente que nós temos, fazemos e somos. Quando eu tô fotografando só penso e sinto que eu tenho que continuar”, diz Melissa.

Outra questão que motivou a fotógrafa, foi a falta de projetos na comunidade. Apesar do Morro do Dendê ser uma das maiores favelas do Rio, há poucos projetos sociais na localidade. Melissa contou que os projetos fazem muita falta no Dendê, pois seriam uma ponte para artistas e profissionais se conectarem, como acontece em outras comunidades.

O apoio dos amigos e familiares estimula Melissa a continuar fotografando a favela. Atualmente, ela pensa em dar aulas gratuitas de fotografia na comunidade: “Sinto vontade de ver outros jovens saindo daqui pro mundo, tipo os que saem do Vidigal, da Rocinha, da Maré… É uma corrente do bem. Você toma a iniciativa e encoraja outra pessoa a tomar também, que vai se espalhando e inspirando mais gente e assim as redes se formam. Foi desse jeito que começou nas outras comunidades. Se eu não tivesse uma referência em outra favela talvez não tivesse feito nada aqui”.

Texto da matéria: Amanda Botelho.

 

BOB WOLFENSON

Bob Wolfenson nasceu em 1954, em São Paulo, onde vive e trabalha. Do início de sua carreira, aos dezesseis anos de idade, até os dias de hoje, Wolfenson tem trabalhado com diversos gêneros da fotografia. Uma das referências nacionais como retratista, fotógrafo de nus e de moda, Wolfenson transita entre seus projetos artísticos, o contexto editorial e a publicidade .

Suas exposições de maior destaque aconteceram em influentes instituições brasileiras, como o Museu de Arte de São Paulo (MASP), Centro Cultural Maria Antonia, Museu de Arte Brasileira (MAB-FAAP), Espaço Cultural Porto Seguro, Centro de Cultura Judaic, SESC/ Bom Retiro, assim como na Galeria Millan -que o representa desde 2004. Muitas de suas obras fazem parte do acervo de museus e galerias, tais como Itaú Cultural, MAM-SP, MASP, Museu de Arte Contemporânea de São Paulo (MAC), Museu da Fotografia da Cidade de Curitiba, Zacheta National Gallery of Art (Varsóvia), além de diversas coleções particulares.

Trabalhou e trabalha para publicações como: Folha de São Paulo, Veja, Vogue, Elle, Playboy, Harper’s Bazaar, Marie Claire e Rolling Stone. Durante 12 anos foi sócio e editor da revista de arte/moda/comportamento, S/N e publicou livros como “Jardim da Luz” (Editora DBA/Companhia das Letras, 1996), “Moda no Brasil por Brasileiros” (Cosac Naify, 2003), “Antifachada-Encadernação Dourada” (Cosac Naify, 2004), “Cinépolis” (Schoeler Editions, 2009), “Apreensões” (Cosac Naify, 2010), “Belvedere” (Cosac Naify, 2013), “24x36” (Schoeler Editions, 2013), “Bob Wolfenson” (Terra Virgem Edições, 2017), “Retratos”, (ECPS 2018), “Sub/Emerso”( Quarentena Books, 2020) e “Desnorte” ( 2021), além de se apresentar em diversas exposições individuais, como as mostras: “A Caminho Do Mar”, 2007; “Nósoutros”, 2017, na Galeria Millan; ou coletivas como a “Modos de Ver o Brasil“ na Oca-Ibirapuera, um mergulho na coleção do Itaú Cultural, também em 2017.

Em 2018 inaugurou a mostra "Retratos" no Espaço Cultural Porto Seguro em São Paulo, aclamada como uma das melhores mostras fotográficas do ano, com grande repercussão de público e crítica. Em 2020, o Museu da Fotografia de Fortaleza recebe para sua coleção permanente mais de 130 imagens da mostra "Retratos" que estava em exposição em suas instalações. Em 2021 a Revista Elle faz, sua edição de março, totalmente dedicada a ele e por ele.

Bob segue trabalhando incessantemente em seus projetos pessoais, em publicações brasileiras e internacionais.

 

ROD CARVALHO

Jornalista focado em cultura, já tendo escrito matérias para veículos como "O Globo", "JB", revista "Sexy", e sites como "Globo Online" e "SRZD", trabalha com audiovisual há 10 anos, produzindo, dirigindo e montando vídeos institucionais, eventos, video clipes e making ofs, além de ter trabalhado como assistente de produção e direção em curtas como "O Crime do Beco dos Gatos", de Ruy Guerra.

Produziu, roteirizou e produzui o documentário "Brazilian Way", sobre as entranhas do cinema brasileiro em fase de finalização; e atualmente está produzindo e filmando o documentário "Peti" (sobre o muso inspirador de Caetano Veloso para a música "Menino do Rio"); e acaba de filmar o sexto e último episódio da série "Arte: Atravessando a Pandemia", que retrata os anseios e inquietações de artistas de diferentes nichos durante a pandemia - a qual produziu sozinho e divide o roteiro direção com o cineasta Emanuel Orengo.

Dirigiu video clipes de artistas como Arnaldo Brandão, Fausto Fawcette e a banda Leela.

 

Contribua com o que puder porque no financiamento
coletivo 20 reais de cada pessoa faz uma grande diferença!

Fale com a Kickante

A mais completa plataforma de
Crowdfunding do Brasil

R$ 2.615,00
da meta de R$ 42.000,000%
Rodrigo Carvalho Fonseca
Rio de Janeiro - RJ
CrowdfundingArte
Campanha lançada em 02/08/2021

Campanha Flexível

R$ 25,00
0 kicks

MAIS ESCOLHIDO

R$ 50,00
0 kicks
R$ 120,00
0 kicks
R$ 300,00
0 kicks

+ 2 milhões

de brasileiros participando na Kickante

Mais de 300 milhões de reais

Contribuídos para projetos variados

+ 100 mil projetos

São milhões de brasileiros impactados!

Painel Transparente

Veja o status real de toda contribuição.