PUBLICAÇÃO LIVRO "SOU FILHA DA LEI, SOU FILHA DO REI"
Claudia Veras
Fortaleza - CE
CrowdfundingFinanciamento ColetivoLivro
R$ 170,00 da meta de R$ 30.000,00
0%
A nação brasileira mudou sua forma de entender a violência contra a mulher, mais especificamente a violência doméstica, através da persistência de minha mãe - Maria da Penha - por justiça. A tentativa de assassinato contra ela tirou-lhe o poder de andar, mas não de alcançar vôos até então inimagináveis.

Assim, quase vinte anos após o fato, o seu caso deu origem a um movimento social e jurídico, nacional e internacional, que culminou com a criação de uma Lei Federal batizada com seu nome: Lei Maria da Penha.

Os holofotes estamparam nos jornais o fato que não apenas mudara a legislação do nosso país, mas também descortinara diante de mim a grande injustiça praticada contra a minha vida, enquanto uma das três crianças menores filhas de Maria da Penha e de Marco Antônio (autor do crime).

Por mais de 40 anos convivi com uma dor silenciosa dentro do meu coração. As experiências que vivi na infância (abuso físico e emocional; abuso de autoridade; carência de afeto, de colo; carência da palavra de afirmação que validam o outro; dentre outros) geraram em mim uma visão errada/distorcida sobre mim mesma que perduraram até um tempo bem recente. É importante que saibamos que todas as fases da nossa vida (juventude, maturidade e velhice), normalmente, são influenciadas de uma forma mais intensa pelas emoções que foram ativadas em nós durante a infância.
 
O pai e a mãe tem papéis especiais não apenas na concepção, mas também na criação de um filho (a). O pai dá a direção e o limite; a mãe, o consolo e os ensinamentos. O pai influencia diretamente na formação da identidade tanto de um filho quanto de uma filha. A mãe auxilia na impressão dessa identidade através do suprimento do afeto e dos bons conselhos.

O olhar de admiração e reconhecimento da figura paterna grava no filho e na filha uma base sobre a qual ele e ela se desenvolverão no decorrer de sua história. Contudo, na contramão desse ideal, num lar desajustado, o pai violento ou ausente (física ou emocionalmente) coloca a mãe num estado emocional abalado e o desempenho de sua função materna torna-se deficiente. Sorrateiramente, a impressão gravada nos filhos volta-se para eles mesmos "meus pais não me amam, deve haver algo de errado em mim". Essa visão distorcida mina as relações que eles estabecerão consigo mesmos, com o outro e com Deus.
 
Sei que assim como eu, muitas outras meninas e meninos, hoje mulheres e homens, permanecem com suas emoções desajustadas, suas personalidades incompreendidas e suas relações destruídas, por não terem vivido uma "infância dos sonhos". Seguir em frente, ignorar o passado traumático e o quanto ainda estamos presos nele parece ser a única opção plausível diante das relações caóticas que estabelecemos. Contudo, eu lhe digo que esse não é o caminho certo!

Realmente não é fácil sair desse lugar, mas sei que no profundo do seu ser há um clamor que lhe diz para dar o primeiro passo! E foi por isso que escrevi minha história: para inspirar a sua vida e dizer que é possível sair desse lugar de dor! Quero ajudar-lhe a virar as páginas ruins, tratar suas feridas e ressignificar sua vida. Isso impactará não apenas o seu futuro como também o futuro de sua descendência. 

Neste livro descrevo as sequelas de uma infância acometida pela violência e abuso paterno, a sua influência direta na deficiência materna e, ainda o quanto essa realidade foi nociva para a minha vida. Mas acima disso, através dele apresento a Esperança de uma vida de Paz, Amor e Alegria verdadeiras.

É muito fácil participar.

Finalize em segundos!

Mais de 2 milhões de brasileiros

Pagamento seguro

Parcele em até 12X

Eu sou Cláudia Fernanda Veras, casada com Francisco Cláudio - Tchesco - mãe de 3 meninas: Larissa (filha amada do coração), Júlia e Esther.

A história de meus pais, a luta de minha mãe, modificou as leis brasileiras. Mas, apesar da importância da Lei Maria da Penha, ela por si só não é capaz de transformar os corações, de sarar as almas feridas, de alinhar as emoções e reafirmar a identidade de cada mulher e de cada homem que vivenciou um trauma assim na sua infância.

Eu convivi de perto com a violência doméstica e, por muitos anos, vivenciei as sequelas de tudo que havia sido armazenado dentro de mim. Mas, e somente, depois que baixei a guarda e decidi olhar para mim mesma (e não mais para o que haviam feito comigo) encontrei o Amor que eu ainda não havia conhecido. Experimentei a Fonte da cura e do resgate da minha identidade. 
Pude então acessar o meu EU VERDADEIRO, ressignificar a minha história e romper com um ciclo que há muito permeava minha família. 

Quero compartilhar essa experiência com você e inspirá-lo (la) a se descobrir e se amar.

Hoje meu passado de dor não é mais um peso aprisionador, ao contrário, ele me impulsiona a impactar/gerar mudança em outras histórias. Posso afirmar que "FUI ENCONTRADA PELO AMOR, SOU LIVRE PARA AMAR".

O valor arrecadado cobrirá os custos da impressão do livro "Sou filha da Lei, Sou filha do Rei" e sua distribuição aos que aderirem a esta campanha; permitirá que o livro alcance mais pessoas e; além disso, também possibilitará o pagamento do percentual acordado com esta plataforma (kickante).


OBS: Se você se interessar em ajudar com algum outro valor que não esteja elencado nesta campanha, favor entrar em contato com soufilhadaleisoufilhadorei@gmail.com

Contribua com o que puder porque no financiamento
coletivo 20 reais de cada pessoa faz uma grande diferença!

Fale com a Kickante

A mais completa plataforma de
Crowdfunding do Brasil

R$ 170,00
da meta de R$ 30.000,000%
Claudia Veras
Fortaleza - CE
CrowdfundingFinanciamento ColetivoLivro
Campanha lançada em 16/11/2021

Campanha Flexível

+ 2 milhões

de brasileiros participando na Kickante

Mais de 300 milhões de reais

Contribuídos para projetos variados

+ 100 mil projetos

São milhões de brasileiros impactados!

Painel Transparente

Veja o status real de toda contribuição.